Literatura Recomendada Meditação Cristã

“Eu ‘parti’ como cristão, ‘encontrei a mim mesmo como hindu, e ‘retornei’ como budista, sem nunca ter deixado de ser cristão” (KNITTER, 2002, p. 126).

Raimon Panikkar descrevendo sua trajetória, após sua formação acadêmica nas universidades indianas e americanas.(link)

 

Retorno ao Centro

Por Bede Griffiths

Ibrasa – esgotado

De todos os livros de Griffiths este é seguramente o mais bem escrito e mais profundamente místico. No primeiro capítulo ele elabora uma espécie de relatório, refletindo sobre o que a vida na Índia tem feito para ele, sobre como sua mente se desenvolveu ao longo dos anos, sobre as mudanças que ocorreram no seu modo de vida e nas profundesas de sua alma. Como um quadro de tudo isso, ele explora o significado dos três votos da vida religiosa: a pobreza, castidade e obediência.

Ele entende os seres humanos como produtos da evolução, incluindo a evolução da consciência, cultura e expressão religiosa, condicionado pela história. O que torna os seres humanos singulares é sua capacidade de auto-transcendência, e isso é o que a religião está relacioanda. Cada religião é um meio culturalmente determinado (ou veículo) para empreender a busca da realidade suprema ou ser absoluto. Esta realidade foi revelada em uma variedade de formas em diferentes circunstâncias e épocas históricas.

Nos capítulos seguintes, Griffiths olha o sentido do pecado original como uma falha em apreciar a idéia de interioridade. Ele olha para a natureza eterna de cada pessoa como um pensamento na mente de Deus. A morte, diz ele, não deve ser temida ou desprezada, mas considerado como um sacramento da passagem para a vida eterna. Ele compara a religião eterna com a igreja como uma entidade sacramental e explora cada uma das religiões mais elevadas em termos de três características que todos partilhamos: rituais, organização e doutrina. Em um fascinante capítulo que se segue, ele fala do Espírito como o princípio feminino orientador do desenvolvimento do mundo. Nem todos os cristãos serão satisfeitos com visão crítica da Igreja que o autor apresenta. Mas são visões com as quais todos podemos concordar após alguma reflexão sobre a nossa própria história e cultura e sobre o real significado de nossa própria crença e prática religiosa. (resenha de Alekos)

 

O Casamento do Oriente com o Ocidente

Por Bede Griffiths

Editora Paulus

A maioria das pessoas que fizeram teses de doutorado sobre o autor estão corretos em considerar este livro com sua segunda autobiografia, e o subtítulo nos diz também que isso era mais ou menos a intenção do autor.

Primeiro, o autor escreve cerca de cinquenta páginas para mostrar como a vida na Índia – na época que escreveu esse livro, quando já morava há cerca de 30 anos – o que mudou em seu coração e alma, e expandiu sua mente.

O restante do livro é dedicada a delinear as revelações védica, judaica e cristã e a maioria das subseções estão dispostas de modo a mostrar como os mitos têm se desenvolvido e sido cultivados em cada um destes três grandes tradições religiosas. (…)

Não tenho nenhum problema com a visualização a maioria do material no Velho Testamento como radicalmente envolvido com o mito. Mesmo a história da criação. É um mito bonito, mas ainda assim um mito. Mas há muitos cristãos que não podem aceitar mais de uma compreensão literal e histórica deste material. Este livro não foi certamente feito para eles.

(…) Griffiths identifica a revelação cristã como o “renascimento do mito.” Ele centra sua discussão sobre o mito de Cristo e do mito da Igreja. O mito, diz ele, por meio de validar seus argumentos, apela para a imaginação, o coração e transforma a pessoa.

Deve-se salientar que grande parte da argumentação de Griffiths está em dívida com trabalho de Mircea Eliade. O livro pode ser recomendado para todos que procuram o enriquecimento religiosa ou espiritual. (resenha de Alekos)

 

Bede Griffiths Sangha – São Paulo

Grupo Coordenado por Marcos T. Monteiro (Yesu Das) – grupobedegriffiths@gmail.com – (011)9787-8855

 

Este é o primeiro grupo de diálogo hindu-Cristão no Brasil no pensamento de Swami Abishiktananda (Pe Henri Le Saux) e Bede Griffiths (Swami Dayananda) ambos monges beneditinos que iniciaram uma vida monástica hindu sem perder o lado cristão. Eles meditavam nas cavernas dos Himalayas, foram os pioneiros no fenômeno da inculturação permitida pelo Vaticano pelo Concilio Ecumenic Vaticano II.   Descobriram o Advaita (Não dualidade) no contexto cristão já presente nos misticos cristãos como Meister Eickhart. ?Seu ashram, no sul da Índia, chama-se Shantivanam e foi a primeira comunidade inculturada hindu-cristã, lá eles praticam yoga, meditação, mantras védicos, salmos, leituras de textos hindus e cristãos, fazem rituais hindus como arati etc… Na missa bastante inculturada assemelha-se a um puja hindu. Pe Hugo Lassale fez este trabalho com o zen e eles com o hinduismo. O grupo está inscrito no site de Bede Griffiths no contemplative groups, Brazil- São Paulo.

 

A Ponte Entre as Duas Margens

Por Lúcio Valera

Univ. Fed. de Juiz de Fora – MG

Dissertação de Mestrado escrita por Lúcio Valera, apresentada ao Curso de Pós-Graduação em Ciência da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Resumo

Este trabalho tem o objetivo de descrever a experiência inter-religiosa e o fenômeno da dupla-pertença vivido pelo monge beneditino francês Henri Le Saux (Swami Abhishiktananda).

Ele procurou estabelecer um monasticismo hindu cristão no contexto da tradição hindu da não-dualidade (advaita). Sua experiência abre um caminho importante para uma Teologia das Religiões baseada no encontro existencial para o diálogo inter-religioso. Ele tentou obter algo mais que uma formulação conceitual, e o modelo que ofereceu foi de uma “ponte” que une as duas “margens” da busca religiosa da humanidade. É o paradgma experimental do auto-despertar, a descoberta do verbo na “caverna” do coração.

 

Zen para Cristãos

Por Kim Boykin

Editora Pensamento

Em Zen para Cristãos, Kim Boykin – que, em sua fé cristã, já teve experiências das dádivas do Budismo – oferece aos cristãos uma maneira de incorporar práticas zen à vida diária sem comprometer suas crenças e sua fé.

Zen para Cristãos conduz o leitor através de conceitos específicos da filosofia zen – como sofrimento, apego e iluminação – e explica cada um deles de forma simples e estimulante. As seções entre os capítulos orientam o leitor quanto às práticas da meditação zen, explicando com clareza seus aspectos principais. Um capítulo-chave faz um paralelo entre os ensinamentos zen e cristãos para ajudar o leitor não só a compreender o Zen, mas também a valorizar o que ele tem a oferecer.

Zen para Cristãos ilustra como a prática do Zen pode ser especialmente proveitosa para cristãos que querem enriquecer sua fé introduzindo na sua vida práticas contemplativas.

Neste link uma entrevista com a autora.

 

 

Meditação Zen para Cristãos

Por Pe. Hugo Enomiya-Lasalle

(Editora Paulus)

Ao se falar de contemplação ou meditação cristã, costuma-se pensar numa espécie de oração reflexiva que tem por objetivo uma verdade religiosa, um trecho bíblico ou um acontecimento da vida de Jesus ou de um dos santos. A norma é pensar nessas coisas, refletir sobre elas, haurindo delas ensinamentos, estabelecendo-se em seguida um diálogo com Deus, Jesus ou os santos, ou seja, uma oração em sentido próprio. Este livro contém as conferências introdutórias à prática da meditação. Inclui também observações feitas em seguida nos debates em grupo e nas conversas individuais como o acréscimo de complementos que parecem úteis. A atenção volta-se sobretudo para a realização dos exercícios.

 

A Transformação Espiritual Mórmon através da Meditação e da tradição yogue hindu

Por Phil McLemore

(Mormon Stories)

Este site Histórias Mórmons procura entrevistar Mórmons que tenham depoimentos interessantes relacionadas com eventos atuais, as questões, mídia e cultura Mórmon. Neste podcast Andrew Ainsworth entrevista Phil McLemore para discutir a sua transformação espiritual através da meditação e da tradição yogue hindu.

Parte 1: A conversão de Phil McLemore para o mormonismo e sua transformação espiritual através da meditação

Parte 2: Como a meditar e por que você deve meditar; Mantras na cultura Mórmon.

Parte 3: Mantras Mórmon & O Yoga do Cristo

Parte 4: continuação sobre O Yoga do Cristo

Phil é autor dos ensaios Mormon Mantras e The Yoga of Christ, publicados pelo Sunstone Magazine.